Na visão de um Marketólogo: Quais os Pontos fortes e fracos de se comprar uma micro ou pequena empresa



Colunista de Marketing Milton Silveira



As micros e pequenas empresas representam cerca de 20% do PIB Nacional ou um pouco mais de 1 trilhão. A taxa de mortalidade nesses últimos 10 anos vem diminuindo.

Segundo o SEBRAE, em Julho de 2013, a sobrevivência chegou há 76%. 
Mesmo assim ainda existem 24% que não chegarão aos 2 anos de existência, são empresas  em sua maioria do setor de serviços, que por falta de planejamento ou experiência em gestão, simplesmente fecham suas portas.

Então é nesse momento, onde surge a oportunidade para o empresário/investidor, com uma visão  de expansão de negócios, de adquirir tais empresas. Mas quais os principais pontos fortes e fracos de se comprar uma micro ou pequena empresa?

Pontos fortes:

Análise e auditoria do negócio: antes de adquirir  uma micro ou pequena empresa, o comprador tem a oportunidade de analisar e Auditar o histórico da mesma; 
Ponto comercial comprovado e aprovado: com o negócio já funcionando, o ponto comercial do mesmo, já possui certa identidade positiva, evitando, a busca de um novo local estratégico;
Carteira de clientes: a empresa que já atua no segmento durante um período, possui uma carteira de clientes que será repassada ao novo proprietário que terá de reter e atrair mais consumidores para alavancar o sucesso da mesma;
Chances de fracasso reduzidos: o comprador ao adquirir o negócio,  já esta ciente de seus  riscos anteriores, podendo então, foca-se  a uma gestão de marketing para obter resultados almejados.
Pontos fracos:


Entender os motivos da atual situação: na maioria dos casos, deve ser existir uma adaptação do comprador à cultura existente; caso contrário, uma atitude mal planejada poderá não alavancar a empresa rumo ao sucesso;


Atitudes: uma transformação é necessária, todo mundo quer crescer. Não se pode ficar restrito aos serviços antigos não atendendo às novas tendências, pois são fatores que poderão prejudicar o sucesso do negócio;


Não estudar bem o negócio: é recomendado que o comprador deva estudar profundamente o negócio, identificando os riscos e as oportunidades;


Não ligar para a concorrência: é vital ver o que o mercado está oferecendo. Não é porque a empresa foi comprada há pouco tempo que não precise fazer um benchmarking. Ou seja um exame minucioso de como as concorrentes realizam uma função específica a fim de melhorar como realizar a mesma ou uma função semelhante.

Após analisar os principais pontos fortes e fracos do novo negócio, será necessário desenvolver estratégias de marketing reativas, elaborando um Planejamento Estratégico que tem como objetivo analisar o contexto externo onde a empresa está inserida. Isto porque estamos refletindo sobre uma variável não controlável e é importante que a empresa se prepare para esta realidade, buscando cada vez mais o conhecimento para se obter o sucesso desejado.

Milton SilveiraMarketólogoex-professor universitário das disciplinas de Administração, Empreendedorismo e Marketing. Tem MBA em Marketing Estratégico e Graduação em Administração com Habilitação em Marketing, pela FARN, Faculdade Natalense para o Desenvolvimento do RN. Atualmente trabalha no setor financeiro da  Big Art co; em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos.

  1. Deixe um comentário

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: